• Facebook - Círculo Branco
  • Instagram - White Circle
  • YouTube - Círculo Branco

PARTO PÉLVICO. QUAIS AS CHANCES DE SER NATURAL/NORMAL?



‘Seu bebê está sentado’. Esse é um diagnóstico que assusta ou desestimula muitas gestantes.


E então? A única opção é agendar uma cesárea? Ou é possível tentar o parto normal?


Bem, o parto pélvico (com bebê sentado), têm de fato mais indicações para cesárea do que um parto cefálico (cabeça para baixo) com início de TP (trabalho de parto) espontâneo.

Enquanto um parto cefálico de baixo risco tem 95% de chance, em média, de ser normal.

Um parto pélvico tem entre 45% e 50% de chance.

Que em geral são os casos de evolução rápida, já que nesse tipo de parto é fundamental que o bebê nasça de forma rápida.


Esse índice é de acordo com estudos do obstetra alemão Frank Louwen.


Mas por que esses índices e necessidade de evolução rápida?


Durante o parto normal, o bebê que está sentado fica um tempo sem oxigênio, pelo próprio mecanismo do parto.

Quando as pernas ou bumbum do bebê saem da barriga da mãe, o fluxo do cordão é interrompido e ele fica sem oxigenação até sair completamente da barriga – o que não acontece com um bebê cefálico, cuja cabeça sai primeiro.


Isso acontece também pela expansão da caixa torácica.


Sendo assim, as chances de um parto pélvico ser normal sem acarretar prejuízos à saúde do bebê dependem diretamente de uma evolução rápida do trabalho de parto – para que o oxigênio seja rapidamente restabelecido.


Mas como saber se é possível?


O obstetra e uma equipe experiente em partos pélvicos avaliam o andamento do TP para verificar sua potencial agilidade ou demora. Há também uma triagem durante o pré-natal que torna elegíveis ao parto normal pélvico bebês que tenham entre 2,8 kg e 3,8 kg, e entre 37 e 41 semanas. Isso por conta do tamanho do bebê e capacidade da placenta em oxigenar bem.


É importante dizer que nem todos os obstetras pensam como Frank Lowen e como eu, particularmente.


Há três diferentes linhas:

1º Protocolar que recomendam que bebês pélvicos nasçam obrigatoriamente via cesárea, ainda que se espere o início do trabalho de parto.

2º  Que recomendam a tentativa de parto pélvico apenas para mulheres que tiveram parto normal anterior.

3º  Que com base nos estudos amostrados por Frank Louwen, acreditam que é possível sim um parto normal pélvico. Recomendam desde que haja uma equipe treinada e a análise cuidadosa desses indicadores apontados acima – peso do bebê, idade gestacional e evolução do trabalho de parto.


Também vale ressaltar que antes de um parto pélvico existe a alternativa da Versão Cefálica Externa (VCE), uma manobra externa para tentar virar o bebê para a posição cefálica, e que tem 75% de eficácia. Falarei sobre a VCE em breve!


Já quanto aos resultados de um parto pélvico: para a mulher é o mesmo benefício como o de um parto cefálico. Para o bebê, existe o maior risco de nascer via cesárea ou de necessitar de alguma ajuda de oxigenação pós parto.


Contatos

  • Facebook - círculo cinza
  • Instagram - Cinza Círculo
  • YouTube - círculo cinza

C  Todos direitos reservados à Braulio Zorzella.