• Facebook - Círculo Branco
  • Instagram - White Circle
  • YouTube - Círculo Branco

VERSÃO CEFÁLICA EXTERNA (VCE): COMO FUNCIONA?




A Versão Cefálica Externa, ou VCE, é uma manobra feita manualmente pelo obstetra.


Esta é realizada para tentar “virar” um bebê que está em posição pélvica (sentado) ou transverso (atravessado) para a posição cefálica (de cabeça para baixo), aumentando assim as chances de um parto normal.


O PROCEDIMENTO É SEGURO, RECOMENDADO PELA ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE E SEUS BENEFÍCIOS SÃO INEGÁVEIS:


um parto pélvico atendido por uma equipe experiente tem em torno de 45% a 50% de chance de ser normal.


Quando a VCE é bem-sucedida, essa chance aumenta para 70% – distante do 95% de chances de um bebê naturalmente cefálico apenas pela maior dificuldade no encaixe correto.


É importante dizer que a VCE é contra-indicada em alguns casos específicos de gestantes de alto risco ou bolsa rota.

O risco da manobra é muito baixo – 0,2% de descolamento de placenta, por exemplo, que seria o caso mais grave!

Dentro desse baixo risco, o que poderia ocorrer é: descolamento de placenta, rotura da bolsa e compressão do cordão, mas como disse, as chances de ocorrer são bastante baixas.


Em geral, a cada quatro gestações pélvicas submetidas à VCE, três viram. Alguns fatores contribuem para a taxa de sucesso:

  • a quantidade de líquido amniótico,

  • a posição do bebê (se está ou não com as pernas dobradas),

  • a placenta em localização posterior.

A manobra pode ser desconfortável e dolorosa, e pode causar contrações, por esse motivo, em alguns casos é utilizada anestesia e realizada sempre no hospital.


Além da VCE, é possível recorrer também a alguns exercícios e à acupuntura para tentar que o bebê se vire naturalmente antes do parto pélvico.


Esse vídeo ilustra bem como funciona a VCE:



291 visualizações

Contatos

  • Facebook - círculo cinza
  • Instagram - Cinza Círculo
  • YouTube - círculo cinza

C  Todos direitos reservados à Braulio Zorzella.